26.08.2020   |   Bad Dürrheim   |   Alemanha

Digitalização – simples e com bom senso

A Marcenaria Strom lucra com a ajuda digital no corte de painéis

O marceneiro mestre Fritz Strom mais um aprendiz produzem móveis individuais e executam projetos de design interiores. No local, encontro as máquinas padrão habituais. Estou curioso com o que me espera. O motivo da minha visita à oficina é um só, que geralmente não se espera encontrar em uma empresa como essa: digitalização.

Um artigo da revista especializada BM, edição 08/2020. Aqui você encontra o artigo na BM-Online.

Fritz Strom (59) me conta que na marcenaria, que ele fundou em 1991, já foram realizados quatro casamentos de funcionários. Hoje, a equipe é formada por ele, sua mulher Jutta e um aprendiz de marcenaria. A marcenaria é compacta, como se imagina. E, como era de se esperar: nenhuma máquina de alta tecnologia cheia de luzes, mas máquinas padrão bastante sólidas, algumas delas ainda naquele verde que me lembro do meu tempo de aprendiz. Junta-se a elas uma CNC vertical compacta que Fritz Strom comprou há uns cinco anos, bem como uma coladeira de bordas. A marcenaria está equipada para processar placas de madeira, madeira maciça e lâminas de madeira. Em uma pequena sala de pintura, cada um dos móveis e projetos de design de interiores recebem o seu acabamento de superfície. Fritz Strom: "O processamento de placas compõe cerca de dois terços do nosso trabalho. Mas madeira maciça e lâminas continuam tendo um papel importante para nós". E ele continua: "Não participamos de concorrências públicas. Nós planejamos e produzimos quase que exclusivamente para clientes privados".

"Não sou fanático por computadores"

Então falamos sobre a entrada da marcenaria no tema da digitalização. Em seguida, o simpático marceneiro mestre me fala abertamente: "Não sou fanático por computadores. Quem cuida do escritório é a minha esposa Jutta e cria, com o SketchUp, apresentações 3D muito atraentes e faz os esboços para os nossos clientes". Além desse software de design 3D amplamente difundido e barato e, apesar disso, potente, a marcenaria até recentemente só usava programas Office padrão. O fluxo de trabalho até agora era o seguinte: se o pedido se originasse a partir das apresentações do SketchUp, Fritz Strom pegava o bloco de papel e o lápis e elaborava a lista de materiais. Tudo feito à mão. O pedido das placas, então, era feito por instinto. Fritz Strom: "Vira e mexe acontecia de ter comprado uma placa a mais". Ele disse isso sorridente, pois hoje isso já não acontece mais. O mesmo se aplica ao corte das placas, que ele faz com uma serra tico-tico e uma serra para placas mais velha: antigamente, seguindo o instinto e hoje, com sistema.

"Isso me deixou curioso"

Há cerca de um meio ano, Fritz Strom entrou em contato com a HOMAG e acabou conhecendo um "projeto" que o líder do mercado mundial da Floresta Negra estava prestes a lançar voltado à marcenaria: os assistentes digitais. Isso deixou o marceneiro mestre tão curioso, que ele conseguiu ser aceito no seleto grupo dos usuários piloto. E isso, porque sua empresa corresponde exatamente ao grupo alvo que a HOMAG deseja atingir com esses novos produtos: as marcenarias pequenas que, se for o caso, também só trabalhem com máquinas padrão e, mesmo assim, devem poder aproveitar as possibilidades que digitalização oferece. Totalmente fundamentada, de manuseio fácil e com resultado efetivo. E foi assim que Fritz Strom recebeu justamente o auxiliar digital que lhe despertou muitas expectativas: o assistente de corte cujo nome oficial é Cutting Production Set.

Plug and play: pronto para funcionar em um instante

Para poder começar a usar o assistente, ele mesmo primeiramente instalou os componentes de hardware. Na prática, isso significa concretamente: apenas conectar o HOMAG Cube (a caixa de controle inteligente que estabelece a conexão da impressora de etiquetas com a internet e os aplicativos) como núcleo do sistema com o cabo LAN e a impressora e nada mais. Além da impressora, o conjunto básico ainda tem dois rolos de etiquetas. Para o Cube e a impressora, o marceneiro mestre construiu uma estante pequena e bem elaborada. "Tudo isso foi bem fácil", comentou Fritz Strom.

É claro que, a inteligência de fato, o assistente de corte só terá com os softwares e aplicativos: IntelliDivide Cutting (software de otimização para o corte), Production Assist Cutting (assistente para o corte manual) e o Material Manager (gerenciamento de material).

E ainda é necessário ter uma conta no sistema Tapio. Parece complicado, mas não é. A plataforma da HOMAG, chamada de "ecossistema" e que parece meio desajeitada, na verdade é um cockpit bem simples e abrangente para todas as aplicações utilizadas. Fritz Strom também conseguiu dar conta disso sem problemas. Agora, o – só relembrando – não fanático por computadores passou a ter uma boa visão geral sempre atual dos seus aplicativos. Esses aplicativos são utilizados no computador no escritório e no tablet na oficina.

Comprovação direta na prática

Depois que o marceneiro mestre realizou a configuração descrita facilmente, ele pôde começar a usar o sistema. O novo fluxo de trabalho se desenvolve, como sempre, no planejamento do SketchUp. No lugar de um bloco de papel e lápis, a ferramenta de Fritz Strom passou a ser a otimização de corte IntelliDivide Cutting. Uma parte dos dados ele obtém por importação de um arquivo csv proveniente do SketchUp. Os outros dados ele insere na otimização de corte. Depois que tudo foi inserido, ele dá início à otimização. Nesse processo, ele pode escolher entre vários resultados, por exemplo, com foco na menor perda possível de material, no menor tempo de atividade da máquina ou no manuseio mais simples. E as sobras do painel também são consideradas. Um efeito secundário muito apreciado: agora Fritz Strom sabe exatamente quantos painéis ele vai precisar e terá que encomendar.

Em seguida, o aplicativo, que não está no computador dele, mas funciona on-line, começa a trabalhar. Dentro de alguns instantes, o plano de corte está pronto e é transferido ao Production Assist Cutting. Este auxilia o processo de corte na oficina por meio de um tablet. Nele, Fritz Strom ou seu aprendiz escolhem o plano de corte para o primeiro painel e podem começar o trabalho, por exemplo, na esquadrejadeira.

O aplicativo conduz o usuário de forma inteligente pela serração. Quando uma peça estiver pronta, basta confirmar com um toque na tela, a impressora gera a etiqueta e a peça muda de cor no plano de corte. Então o aplicativo informa qual corte é o mais adequado na sequência. Cada peça tem a sua etiqueta individual, a qual contém todas as informações e um código de barras para os processamentos subsequentes na BHX e na coladeira de bordas.

Um bom começoe mais potencial

Fritz Strom está bastante satisfeito: "Hoje em dia, preciso da metade do tempo que eu precisava antes para os trabalhos de preparação e também houve uma redução considerável do consumo de material. Os dois juntos significam que já agora há uma grande economia de tempo e custo. Além disso, posso afirmar que já nem acontecem mais falhas".

O marceneiro mestre sabe, contudo, que este foi um excelente "início digital", mas ainda tem muito mais a fazer para mais otimizações. Por exemplo: com um sistema CAD "de verdade" conectado no início do processo, ou com um gerador de módulos, ele poderia alimentar a otimização do corte de forma contínua e completa com um simples clique, sem nenhuma inserção manual. Isso seria mais um avanço e tanto. Tenho até a impressão de que Strom, o "não fanático por computadores", está achando essa implantação bem interessante. O melhor de tudo: com o Cutting Production Set ele já está perfeitamente equipado para isso hoje.

 

Visão geral do Cutting Production Set da HOMAG
Otimização e mais: isto é o que o assistente de corte pode fazer

O Cutting Production Set auxilia carpinteiros e marceneiros no corte com esquadrejadeiras e seccionadoras horizontais e verticais de todos os tipos e tempos de uso, começando com a otimização do corte, passando pelo processo de corte na máquina indo até a impressão da etiqueta.
O conjunto abrange:

  • Os aplicativos IntelliDivide Cutting (software de otimização do corte), Production Assist Cutting (assistente para o corte manual) e Material Manager (gerenciamento central de material)
  • HOMAG Cube e impressora de etiquetas
  • Manual de instruções de colocação em funcionamento

Funciona assim: primeiramente, o aplicativo IntelliDivide Cutting faz a otimização dos planos de corte. Em seguida, ele transfere para o Production Assist Cutting e este ajuda nos trabalhos na marcenaria: o tablet mostra quais peças já foram cortadas e o operador vê uma sugestão de qual peça deve cortar em seguida. Na sequência, o operador cola uma etiqueta em cada peça cortada. Essa etiqueta contém todas as informações relevantes e também o código de barras para a máquina CNC e a coladeira de bordas.

Instalação fácil: as etapas de instalação do HOMAG Cube e da impressora constam nas instruções de colocação em funcionamento. A ativação dos aplicativos acontece de forma simples, pelo código promocional. A única coisa necessária para isso é o acesso ao www.tapio.one. Uma vez criada a Tapio-Account, a empresa terá, ali, uma visão geral sobre todos os aplicativos que ela utiliza e pode dar acesso a quantos funcionários quiser a cada um dos aplicativos.

Outros assistentes: o assistente de corte é um dos três assistentes digitais atualmente disponíveis na HOMAG. O assistente de bordas (Edgeband Management Set) auxilia a organização das fitas de borda diretamente na coladeira de bordas. Já para a classificação das peças na oficina, é possível usar o assistente de classificação (Sorting Production Set). Todos os conjuntos (sets) estão disponíveis na Online-Shop: shop.homag.com

 

Foto: Fachmagazin BM / Christian Närdemann

Voltar para a lista