|   Lichtenberg   |  Alemanha

Automação: móveis a partir de uma célula

Quem fabrica móveis por lote precisa pegar os cortes repetidas vezes, colocá-los sobre máquinas, retirá-los novamente, reordená-los e recontá-los, para verificar se o lote está completo. Alexander Runge, da HOMAG, apresenta soluções de automação.

Artigo publicado na revista especializada DDS, edição 05/2017. Leia aqui o artigo na DDS-Online.

Tempos de processamento curtos, estoques baixos e flexibilidade da produção acompanhada por custos reduzidos são fatores determinantes para o sucesso na fabricação de móveis hoje em dia – independentemente do porte da empresa. Estes objetivos modificam igualmente os procedimentos, os processos e a filosofia de trabalho tanto de marcenarias quanto de instalações industriais. Fluxos otimizados de materiais e de dados e máquinas e sistemas interconectados desempenham aqui um papel importante. Hoje, a utilização otimizada das máquinas constitui o ponto central da organização da produção. Um software integrado e inteligente conecta as máquinas e as células de processamento. Além disso, vê-se atualmente uma utilização adicional frequente de soluções de automação, tais como sistemas de alimentação e empilhamento, aplicativos Pick & Place e sistemas automatizados de estoque e preparação de encomendas.

Os resultados: a eficiência e a produtividade multiplicam-se. A precisão e a exatidão de repetição com elevada disponibilidade e segurança operacional são aprimoradas. E o gerenciamento de materiais totalmente automatizado reduz os custos. As soluções de automação asseguram:

  • Alta precisão e exatidão de repetição
  • Utilização mais eficiente da mão de obra
  • Ergonomia e alívio físico
  • Alocações sempre corretas
  • Estoques baixos e tempos de processamento curtos

A célula seccionadora-estoque: o seccionamento de placas constitui o início da cadeia de processos na fabricação de móveis e, mais do que nunca, tem sido o foco da análise de eficiência. Desde o primeiro segundo, as combinações estoque-seccionadora trazem resultados perceptíveis, pois elas solucionam as necessidades logísticas – desde a marcenaria artesanal, que possivelmente utiliza um estoque do tamanho de uma garagem dupla, até a empresa fabricante de móveis a nível industrial, que opera uma área de estoque de máximas dimensões.

Mantém a seccionadora em funcionamento contínuo

De forma rápida, totalmente automática e precisa, o gerenciador de estoque armazena e retira placas, separa as placas de acordo com os pedidos ou as transporta para a máquina de processamento conectada. Graças a interfaces padronizadas, é possível integrar seccionadoras de placas facilmente. Além disso, os gerenciadores de estoque estruturam os processos e permitem a combinação de diferentes sistemas de transporte, através dos quais é possível integrar outras máquinas de processamento ou o transporte de retorno de sobras de corte para o estoque. Em resumo: o estoque organiza a logística, para que as máquinas de processamento possam operar de modo ideal. Um fluxo contínuo dos materiais evita tempos de espera. Um sistema de estoque traz vantagens competitivas. Aqui, os aspectos mais importantes são a economia de tempo, a maior transparência e o controle total dos custos. Além disso, o sistema assegura uma visão geral completa do material, gerencia sobras e estrutura processos. Os objetivos são sempre os mesmos: um melhor fluxo do material, estoques de material transparentes e a máxima produtividade das máquinas conectadas. As necessidades individuais de cada empresa são determinantes para a escolha do sistema de estoque. O fluxo necessário do material, o tipo de material, o peso do material ou o espaço disponível no local de instalação são fatores determinantes. De acordo com estes critérios, é possível configurar sistemas individualizados.

O retorno de peças: até mesmo a menor e mais básica coladeira de bordas pode ser utilizada de modo otimizado e mais eficiente quando combinada com um retorno de peças. Neste caso, basta um único operador para o processamento completo das peças. O fluxo de peças é otimizado e a organização de pessoal fica mais flexível graças à operação econômica com um único operador. Isso resulta em um processo de produção mais enxuto e eficiente. Portanto, uma decisão em favor da automação na área do processamento de bordas não é uma questão do porte da empresa, mas um pré-requisito para maior economia. Então, para quem é vantajoso um retorno? A resposta: para todos aqueles que possuem uma coladeira de bordas na operação.

Célula para perfuração-separação-montagem: robôs ideais para estoque intermediário, retirada e separação. Eles aumentam a produtividade e o rendimento, asseguram a qualidade e melhoram as condições de trabalho. Estes fatores são decisivos atualmente, pois todos precisam separar peças. Uma célula robotizada executa a separação automaticamente e abastece coladeiras de borda, por exemplo, na sequência ideal. A célula também pode ser utilizada como depósito central, a partir do qual as peças podem ser encaminhadas para as máquinas individuais.

Integralidade garantida

É possível obter vantagens decisivas sobretudo na produção de tamanho de lote 1, pois com um robô o usuário tem acesso direto totalmente automático a cada peça. As células de separação robotizadas possuem uma capacidade de várias centenas de compartimentos para armazenamento. O robô é capaz de acessar rapidamente qualquer um destes compartimentos a qualquer momento. Isto significa: com uma célula de separação, é possível produzir sempre em qualquer sequência desejada a partir de um fluxo aleatório de peças. A integralidade também é garantida.

O autor Alexander Runge projeta e elabora conceitos de instalações na HOMAG. Ele presta consultoria a clientes industriais em todo o mundo –  focando principalmente na área de tecnologia de embalagens e montagem de estruturas.

Voltar para a lista