11.06.2011   |   Suíça

Oficina de produção com tecnologia mecânica moderna impressiona os clientes

O aperfeiçoamento da gestão da qualidade foi uma das prioridades da Blumer-Lehmann ao modernizar a produção. A nova tecnologia mecânica, para além de produzir elementos de elevado valor, também fascina os visitantes.

Quando surgiu a necessidade de adquirir um novo sistema de produção, a Blumer-Lehmann AG estava especialmente interessada em melhorar a gestão da qualidade. Foi quase casualidade que a nova oficina de produção se tornasse um símbolo que a empresa podia utilizar para impressionar os clientes.

Na Suíça existem muitos concorrentes com um óptimo desempenho para um volume de encomendas que varia drasticamente de região para região e que não é ilimitado. Um destes concorrentes é a Blumer-Lehmann AG em Gossau que, através da inovação, está sempre a explorar mercados novos e, deste modo, a melhorar a sua posição no mercado.

Novos produtos para todas as áreas da empresa

Os novos produtos inovadores trazidos para o mercado incluem, em igual medida, conceitos de construção modular fáceis de utilizar, estruturas de fachada extremamente complexas, tecnologias de construção inovadoras na área da forma livre e uniões de madeira não metálicas para construção de andares múltiplos, como os suportes reforçados de madeira de faia e parafusos de madeira de faia utilizados no edifício de escritórios da Tamedia em Zurique. Com projectos como o edifício da Tamedia ou a extensão do Hotel Säntispark, o primeiro hotel de quatro andares construído em madeira no cantão de São Galo, a empresa chamou a atenção internacional nos últimos anos.

A Blumer-Lehmann AG divide-se nas áreas de empreiteiro-geral, construção em madeira, construção modular e construções de forma livre. Nesta última área, a empresa concebe, produz, entrega e monta estruturas de revestimento e suporte de forma livre em madeira para todo o mundo. As fachadas e estruturas de suporte, desenvolvidas individualmente, são produzidas nas máquinas CNC da empresa em Gossau, o que requer uma elevada competência na preparação do trabalho.

Enquanto empreiteiro-geral, a Blumer-Lehmann planifica e constrói edifícios chave-na-mão em madeira ou de construção híbrida. Neste segmento de mercado, que está a obter níveis elevados de procura, a dimensão das construções oscila entre habitações unifamiliares até prédios de apartamentos e grandes projectos no sector comercial ou público, com um enfoque na construção com andares múltiplos.

Na área da construção modular, a empresa cria principalmente edifícios de madeira que são utilizados temporariamente ou que podem ser entregues chave-na-mão ou em diferentes fases da construção e que podem ser desmontados após uma vida útil de vários anos. Os edifícios podem, então, ser erigidos novamente numa localização diferente – um conceito utilizado frequentemente em áreas urbanas para a construção temporária de escolas com base na necessidade e hotéis ou lares de idosos urgentes.

Na área da construção em madeira, a Blumer-Lehmann AG dá resposta a uma vasta gama de necessidades para edifícios de madeira, construindo vivendas e moradias geminadas, edifícios agrícolas, bem como estruturas de suporte, apartamentos, escadas e interiores. Nesta área de negócios também se produzem todos os componentes de madeira para os projectos de construção modular e geral.

Cinco mesas de montagem com ponte multifunções

Independentemente do facto de ser tratar de elementos de fachada para construção híbrida ou elementos de parede, telhado e tecto para os edifícios de madeira da empresa – o enfoque da produção de elementos é sempre a construção de estruturas em madeira, que naturalmente também determina a estrutura dos sistemas de produção: Na Blumer-Lehmann a produção decorre em mesas e, até há dois anos, era realizada maioritariamente de forma manual e num espaço bastante reduzido. Em 2013, com a construção de uma nova oficina, a empresa adaptou o seu tamanho ao volume de produção, que tinha aumentado nos anos anteriores.

A nova oficina foi equipada com uma linha de montagem WEINMANN, incluindo cinco mesas de montagem e uma ponte multifunções. O motivo para esta aquisição foi a vontade de ter uma qualidade constante a um nível elevado. Devido ao aumento de pedidos de construtores, à forte concorrência na Suíça e ao grupo-alvo profissional – uma grande parte das encomendas é feita por arquitectos – a qualidade tornou-se a base essencial a partir da qual a Blumer-Lehmann trabalha para atingir o sucesso comercial.

A primeira estação no novo sistema é a estação de produção manual de estruturas em madeira. Inserida e pregada na primeira mesa, a estrutura em madeira é transportada para a mesa dois, onde o revestimento é aplicado com sistemas de manuseamento e pregado, cortado e perfurado com os orifícios necessários pela ponte multifunções WEINMANN.

A divisão dos dois passos do processo em duas mesas significa que o tempo de ciclo do sistema pode ser reduzido. Na mesa dois o processamento prossegue enquanto a estrutura seguinte já está a ser inserida na mesa um – um dos passos do processo morosos na linha de produção. Se necessário, as barras para elementos de telhado e tecto podem ser inseridas na mesa dois, que está equipada com dispositivos de fixação especiais.

O elemento, agora revestido num dos lados, é transferido da mesa dois para a mesa três através de um processo de viragem, onde o isolamento e a instalação podem ser efectuados. Como se trata também de um processo moroso, pode ser efectuado na mesa quatro em paralelo. Transportado através da mesa cinco, o elemento é então revestido e processado pela ponte multifunções. 

Para o carregamento e a produção de módulos

Uma parte do revestimento é pré-fabricada numa máquina de processamento de placas e depois transportada para o armazenamento temporário ou para a produção de elementos. A decisão sobre o percurso efectuado pelo material do painel é tomada projecto a projecto.

Gestor da empresa, Richard Jussel: "Em passos de optimização contínuos, estamos a desenvolver os conhecimentos sobre o que processar melhor e onde." Isto pode envolver, por exemplo, uma placa acústica com inúmeros orifícios e um corte complexo ou, quando o volume de trabalho é elevado, pré-fabrico para evitar congestionamento na mesa. "Esta decisão requer uma avaliação intensiva do projecto e dos processos necessários ao mesmo."

Outra característica especial do sistema em Gossau é a continuação da distribuição dos elementos ao longo de duas linhas a jusante: Posicionados pela mesa cinco, os elementos são transportados através de uma pista de parede vertical para um carro de distribuição, a partir do qual são carregados em plataformas com a ponte rolante ou encaminhados para outra pista de parede. Esta segue para a nave da oficina com a produção modular, onde os elementos podem ser removidos e continuar a ser processados em vários pontos de montagem.

Mais qualidade e potencial de redução de custos

Em retrospectiva, Richard Jussel considera que o objectivo de alcançar maior precisão e, assim, um constante nível elevado de qualidade com o sistema foi alcançado.

As correlações que existem entre os tempos de operação e os custos de produção são mais complexos para o gestor da empresa: "Alcançar um processo de produção constante com elevado nível de qualidade e com menos pessoas foi fácil. No entanto, para calcular os tempos e custos com precisão, temos de considerar o esforço adicional associado ao sistema, o que inclui, por exemplo, uma preparação do trabalho mais abrangente."

Na perspectiva de Jussel, existe, portanto, uma necessidade de normalização para tornar o sistema mais eficiente. "Ao normalizar elementos e módulos individuais, abre-se a possibilidade de diminuir os custos."

Os processos referentes às mesas também têm de ser optimizados para tornar o novo sistema mais eficiente comparativamente com a anterior forma de produção manual: "Isto aplica-se, por exemplo, aos fluxos de material na produção. Antigamente, em alguns casos, tínhamos de percorrer longas distâncias com as placas e o isolamento até à mesa correspondente, ao passo que agora tudo está no local correcto na linha, o que significa que os nossos funcionários apenas têm de percorrer distâncias curtas. É precisamente aqui que podemos tornar-nos mais rápidos e economizar."

A nova aquisição também satisfez o desejo da administração da empresa de ter uma produção claramente estruturada com melhores condições estruturais para uma gestão da qualidade eficaz. "Uma das vantagens da linha de montagem WEINMANN são os processos de produção claramente visíveis em estações claramente definidas. Todos sabem onde começa e acaba um passo de trabalho, todos conhecem os fluxos de material e o gestor de projecto pode controlar e comunicar com precisão."

A oficina de produção bem organizada representa uma vantagem adicional para a empresa. "Podemos mostrar estas instalações de produção aos nossos clientes e, assim, causar uma boa impressão" – os clientes aqui não são apenas clientes particulares, mas também arquitectos que consideram a produção industrial com elevado nível de precisão uma garantia de reclamações reduzidas. Para Richard Jussel, que "ainda tem muito trabalho de relações públicas pela frente para impressionar os clientes de modo a que estes optem pela construção em madeira", esta é uma vantagem de marketing que não deve ser subestimada.

Fonte: mikado Unternehmensmagazin für Holzbau und Ausbau, Dr. Joachim Mohr, Tübingen

Voltar para a lista