10.03.2020   |   Feldkirchen-Westerham   |   Alemanha

Marcenaria Kilian Fuchs: Quando um homem se torna um time.

Autêntico. Dinâmico. Determinado. Kilian Fuchs, fundador e diretor geral da Fuchs Holz- und Kunststoffverarbeitung irradia essas qualidades logo à primeira vista.

Quando Fuchs começou com um negócio individual, há 20 anos, ele não imaginava nessa quantidade de funcionários e em um parque de máquinas como este.

“Tudo começou quando eu tinha 16 anos”, lembra Kilian Fuchs. Foi a primeira vez que ele investiu dinheiro para poder comprar uma serra circular. Durante as aulas de marcenaria, ele fundou uma empresa secundária e frequentou a escola de mestrado três anos depois. À noite e nos fins de semana, ele fabricava móveis em sua própria pequena oficina. Como mestre carpinteiro, Kilian Fuchs entrou no negócio por conta própria. “Sempre tive certeza que eu queria começar minha própria empresa. Eu não queria ir para outra marcenaria – porque não queria me comprometer com outro negócio.”

Hoje, a empresa tornou-se uma marcenaria com 9 funcionários. Na oficina de dois andares em Feldkirchen-Westerham, Baviera, além de móveis individuais, cozinhas, sistemas de lojas e stands de exposição, são processadas peças plásticas para engenharia mecânica, com todas as peças de plástico e madeira com produção em série.

Uma. Duas. Muitas.

A primeira máquina HOMAG foi uma BHC 550 de segunda mão. “Na época, pensei que uma nova máquina CNC seria muito cara – hoje sei que valeria a pena”. Em seguida, veio a serra de placas HPP 350 e o centro de processamento CNC BAZ 211 com seção de colagem. A oficina agora possui 6 máquinas da HOMAG, incluindo a coladeira de bordas KAL 370 profiLine, o centro de perfuração BHX 200D e o centro de usinagem CNC BMG 511 profiLine de 5 eixos.

“A compra da CNC de 5 eixos foi especialmente importante para nós. Isso permitiu a expansão do nosso portfólio de produtos”, relata Fuchs. Hoje, Feldkirchner utiliza essa máquina para criar muitos componentes complexos – inclusive de plástico. Não sabíamos direito se o centro de processamento CNC poderia processar plástico sem complicações. Quando perguntados sobre o que teria acontecido se o processamento não desse certo, Kilian Fuchs apenas ri: “Então teríamos continuado a processar madeira”.

Hoje a CNC trabalha mais de 15 horas por dia. Mas o trabalho é feito em uma operação de único turno. “Muitos dos programas são feitos de uma só vez e não precisam ser acompanhados. E caso algum processo seja interrompido, sempre contamos com a ajuda rápida do serviço excelente da HOMAG.”

Ausência de pessoal especializado?

Kilian Fuchs não sabe o que é isso. A escassez de trabalhadores qualificados representará um grande desafio no setor de artesanato no futuro. É nisso que Kilian Fuchs se destaca: “Treinamos os nossos próprios marceneiros e, portanto, podemos contar com funcionários competentes. A especialização dos funcionários na operação de certas máquinas representa uma ótima oportunidade de desenvolvimento e um acréscimo à profissão de marceneiro. Combina marcenaria clássica com tecnologia computacional moderna. Uma abrangência bem variada para o artesanato de hoje. A equipe e o equipamento são cruciais para o sucesso de uma empresa”.

Progredir e crescer.

“Nunca estou completamente satisfeito, é isso o que me move”, diz Fuchs. E o desenvolvimento é contínuo: uma nova serra com conexão a um sistema de armazenamento automático de placas também deve otimizar ainda mais o corte. Mas para isso, primeiramente toda a produção teria de ser convertida, porque atualmente o rolamento não tem na posição anterior da serra de placas. “Quando comecei aqui no salão, ele era enorme para mim. Mesmo assim, eu pensava: preciso que ele seja três vezes maior”. A equipe Feldkirchner ainda tinha uma carta na manga: outro salão construído ao lado, alguns anos atrás. Atualmente está bom, mas há esta opção.

Voltar para a lista